Arquivo para abril, 2006

Minha Primeira Personagem de Trevas

Posted in Uncategorized on 04/21/2006 by vampirassassina
Viviane,21 anos, hacker.
Essa é minha primeira personagem de Trevas (Cenário de RPG do Sistema Daemon), então se algum experiente achar o background estranho, peço desculpas, mas além de ser a primeira, esse é só um resumo… O back é BEM maior e mais completo que este.
Bom, divirtam-se! (Seja porque gostaram, seja por achar graça mesmo! ^^)
 

"Viviane Beatriz Gomez Falcão nasceu em Curitiba, no Paraná, da região sul do Brasil.E lá cresceu e foi “educada” para ser uma moça de alta classe, da qual ela pertence.

 Infelizmente para seus pais ela herdou uma personalidade forte da avó, de origem portuguesa, e ficou um pouco fora dos padrões que eles queriam.

 

Desde cedo ela demonstrou sua incrível facilidade de aprender, chegando a ser considerada por alguns uma super dotada, onde se destacou principalmente em Matemática. Sua infância foi quase tranqüila, pois além de brigar muito com a prima Juliana e ter que enfrentar seus parentes em várias situações, aos dez anos aconteceu uma coisa um tanto extravagante com Viviane. Ela estava andando no jardim de sua casa de praia, muito irritada com seus pais que saíram e a proibiram de ir junto, quando teve a impressão de ouvir algo. Estava escuro, mas como a propriedade é bem protegida, não havia motivo para ter medo, o que por sinal ela não tinha. E, ela é MUITO curiosa, ficando impelida a ir investigar… Ao lado da casa tinham três árvores, e sentada próxima à do meio estava ela. Uma criatura um pouco translúcida, difusa…com marcas de sangue…o que ela estaria fazendo ali? Vivi chegou mais perto…a mulher levantou o rosto e ela pôde ver que seu rosto estava quase que completamente desfigurado…ela falou, com uma voz distante: “Por que você fez isso comigo?” –O quê? Disse assustada. – “Você me matou!” disse o fantasma com uma voz grave e aterrorizante…Vivi não fez nada…por que aquela mulher estava falando aquilo? Viviane correu o máximo que suas curtas pernas agüentavam. Chorou muito, até que seus pais chegaram e ela lhes contou tudo. Eles não acreditaram. No início pensaram que estava louca, os médicos a diagnosticaram, e o único laudo era de uma mente muito criativa. Com o passar dos anos, e com outras aparições, algumas amigáveis, outras nem um pouco, eles entenderam, com a ajuda da avó e do mordomo, o que se passava com sua filha, embora não aceitassem. Vivi tornou-se uma adolescente assombrada por pessoas que a acusavam de tê-las matado e acompanhada por amigos espirituais.

 

Quando tinha 12 anos, seus pais viram-se forçados a contratar um mordomo, já que Viviane não estava na idade de ter babá. Assim que Vivi pôs os olhos em Carlos, ela soube que deveria escolhê-lo, pois ele com certeza ajudaria a encobri-la em qualquer situação, e ele era muito simpático e bonito, nada mal ter uma pessoa assim trabalhando para você. E ele entenderia suas visões, e conversaria com ela sobre isso, para fazê-la entender.

 

Ela sempre estudou num colégio tradicional chamado Santa Maria, onde conheceu o verdadeiro significado de ter dinheiro. Já aos 13 anos, “colegas” ofereciam-na drogas, bebidas e cigarros…eles não tinham nem crescido direito e já se achavam adultos para fazer tais bobagens. Ela recusava, nunca quis em momento algum ficar embriagada ou “chapada”, na verdade essa é uma das coisas em que ela mais detestaria ter que passar. Queria estar consciente de si sempre que possível. Foi nesse colégio onde promoveu sua festa de 15 anos. Ela estava vestida completamente fora do convencional e fez questão de chamar os amigos menos favorecidos que ela havia conhecido. Essa atitude muito pouco agradou a seus pais, mas ela sempre gostou de enfrentá-los.

 

Quando fez 16 anos começou a se envolver mais com os garotos, sentimentalmente falando. Seu primeiro e atual amor foi Fábio. Ele era mais velho, tinha 18, e esbanjava charme e confiança. Mas não era em hipótese alguma convencido. Ela o conheceu através de amigos em comum, e deram-se super bem, até que mais tarde ele ficou com sua prima e a relação mudou um pouco. Ele nunca aceitou ficar com ela, nunca explicou por que. Mas ela adotou um amor meio platônico, e hoje são “bons amigos”. Nesse meio tempo Viviane ficou com outros garotos, mas nenhum tão interessante como aquele. Ela não podia reclamar, eles faziam de tudo para fazê-la satisfeita, queriam-na. Mas ela nunca os quis, e mantêm-se virgem até hoje, um pouco como prova do seu amor, que quando for correspondido, daí sim, ela se entregará, e por falta de interesse nos rapazes mesmo.

 

Quando tinha dezessete anos, Viviane pegou um gosto pelo perigo, e se envolveu com a galera “barra pesada”, ganhando a confiança, e conseguindo ganhar umas pistolas (Tauros) e aprendeu um pouco a usá-las. Participou de alguns furtos, a maioria por diversão, onde quando eram pegos, muitos iam detidos, menos ela. Era incrível! Ela nunca foi levada. Devido a isto, ela acabou ganhando uma certa confiança, que a fez deixar de temer muitas coisas. Exceto ficar sozinha, que é do que ela menos gosta, porque ela sabe que nunca está.

Conquistou Paulo para ganhar influência, e gostou disso. Ele ficou apaixonado, mas ela disse que não o merecia, e acabou levando ele na conversa, e ela pediu para que fossem amigos, é claro que ele aceitou.

 

Aos 18 ganhou uma moto muito boa como presente de aniversário, que se tornou mais uma paixão em sua vida (a principal era o computador, onde desde cedo mostrou competência e onde passou em primeiro lugar na UFPR para Ciências da Computação). Agora ela ama velocidade, participou de algumas competições, apostando claro!

 

            Ela acabou virando hacker nas horas vagas, e é muito boa no que faz. Seus quase melhores amigos (que é o mais próximo disso que alguém conseguiu chegar) são os que conheceu na Internet. Uns são hackers, ou melhor, aspirantes, outros são pessoas comuns, mas interessantes, e o melhor: interessadas. Tem um em especial, que é o mais misterioso e acabou virando uma espécie de contato, ela sempre pode contar com ele, e vice-versa. Ele sabe muito de computador (muito do que ela sabe aprendeu com ele) é muito inteligente (o único que acompanha seu raciocínio, às vezes até se adiantando a ela) e o único que ela não conheceu pessoalmente. Pelo nick seria um homem, mas nunca se sabe… ele ainda pode surpreendê-la.Um outro contato da Internet é uma mulher que mora na Inglaterra. Ela também é hacker, e Viviane teve o prazer de conhecê-la quando foi para Londres nas férias, seu nome é Elizabeth Nixon, de nick “Nix”. Elas são um pouco confidentes também, e se ajudam muito… podem sempre contar uma com a outra.

 

Agora, que está com 21 anos planeja viajar muito, já que está acabando a faculdade terá tempo de sobra. Ela vai aproveitar que ganha dinheiro mensalmente e que tem uma boa poupança em seu nome (e que ela só agora pode usar), e conhecer outros lugares, diferentes dos que conheceu com sua mãe. Quer viver muitas experiências novas, quebrar a cara e se virar como puder, para crescer e tornar-se mais independente."

 

 

 

 

Depois eu pretendo colocar mais dados…Quem sabe até contar como foram algumas partidas com ela… Bom, é isso!

Beijoz,

Sayonara!

 

(E quanto à história que estou escrevendo, eu já tenho algum material, mas ainda não vou postar… E vocês podem ver no site do meu amigo Fosco! Depois eu coloco ali do lado…XD)

Anúncios